Nav

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

BALI DEIXOU DE SER SEGREDO

 

A vontade em conhecer Bali, não nasceu desta febre do último ano, em que toda gente vai para Bali e para a Tailândia. Acho que descobriram Bali, Indonésia, no mapa.

Há anos que oiço falar de Bali, nessa altura, apenas surfistas viajavam para esta ilha Indonésia. Em 2005, era o sonho para muitos surfistas, mas ainda uma viagem cara, uma viagem que fazia parte dos sonhos de muitos. Aos poucos, o pessoal do Surf, foi descobrindo Bali a fundo, tal como outras ilhas. Claro, lá fora, já muito se ouvia falar de Bali, já se conhecia a fama das ondas, alias, quem nunca ouviu falar das MENTAWAI?

O arquipélago das Mentawai situa-se mais ou menos a 100km da costa oeste de Sumatra, e é reconhecido como o melhor surf spot do mundo, pela consistência e qualidade das suas ondas.

Sumatra já é um dos paraísos dos Surfistas, pelo menos de vários que conheci. As ilhas Mentawai, são um conjunto de 70 ilhas.

Claro que a moda agora é Bali, no máximo viajamos até às Gili Islands (Conjunto de 3 ilhas pequenas: Gili Trawangan, Gili meno e Gili air). Isto a escassos minutos de barco de outra ilha Indonésia, LOMBOK. Daqui a pouco tempo, muito pouco, será a nova BALI. As pessoas vão deixar de viajar para Bali, vão passar a explorar Lombok, até pouco restar que é um pouco a sensação que tenho de Bali. Mas Bali é enorme, cheia de encantos, lugares paradisíacos, mas cheia de mortes, de podridão, pobreza, lixo, muita poluição e muita ganância.

Para mim, Bali é isto. Porque é que só foste a Bali agora que está na moda? Pois, porque sou uma maricas, acho que é a resposta mais honesta que posso dar.

Aliás, nem tinha noção do quanto estava a tornar-se IN ir a Bali.

Primeiro, detesto andar de avião. Mas quando digo detesto, imaginem aquela pessoa que começa a suar , faz uma cara como se tivesse a ter a maior cólica da vida, agarra os 'braços' da cadeira como se tivesse de cabeça virada para baixo, em pleno parque de diversões. Pior ainda, quem se senta ao meu lado, antes do avião levantar voo já sabe o quanto sou viciada em ver os desastres aéreos no canal National Geographic- ' desculpe, não está a ouvir um barulho estranho? pois eu estou. E eu vi num programa, um avião que fez este barulho, caiu passado 2 minutos de decolar. Acho que é melhor mandarmos mensagens aos nossos familiares'

ESTA PESSOA SOU EU!

Mas confesso que estou num bom caminho para superar todo este quase pânico a andar de avião. Estou a lembrar-me da minha viagem à Madeira no mês de Dezembro de 2014, com alguns colegas dos Jardins e colegas de profissão. Boa, vou contar-vos isto num dos meus Post de Natal. É Hilariante. Eles não vão adorar que eu conte, mas realmente, passado tanto tempo, acho que posso!

Continuando...

A vida em Bali é barata, mas arrancar para uma viagem de 30 horas, não era nada algo que me deixasse feliz. BURRA, devia ter conhecido Bali há muitos anos atrás.

Mas a verdadeira vontade para conhecer Bali, nasceu mais tarde, quando namorei com o Pedro, ele como alguns de vocês sabem, adora surf, tinha ido nesse ano à Indónesia pela primeira vez. Estou a falar de 2009. Ao namorares com um 'surfista' , tens de te habituar a partilhar o teu namorado com o mar. Aliás, tens de perceber que o mar é a sua casa, é a sua maior paixão, tu, vens depois ! Mas isso pode ser muito giro e saudável. Eu não era nenhuma groupie dos surfistas, logo tudo o que hoje possa saber, pouco confesso, devo aos anos de namoro com o Pedro.

No entanto, ainda durante o namoro, o Pedro voltou a viajar para a Indonésia, mas eu na altura não podia deixar Portugal. Hoje, acho que tudo tem uma razão de ser. Eu nunca me ausentei muito, enquanto a minha mãe era viva. Eu não tinha coragem em deixar a minha mãe. Sempre tive uma mãe maravilhosa, dava-me bastante liberdade,mas ela sentia muito a minha falta.

Não era fácil. Eu sempre quis viajar, eu sempre disse que era uma alma viajante. Para mim o ideal de vida é mochila às costas e mapa na mão. Se bem que agora mudou o lema, visto que voltei da Indónesia com as costas todas rebentadas. Se já tinha lordose, cífose e um pouco de escoliose, mas nunca dava importância ao caso, decidi andar com 20 quilos às costas, horas a fio. Agora sim, sei o que são dores nas costas.

E não gosto nada!Mas eu sempre sonhei muito, planeei muito mas pouco ou nada fiz! A maior maricas! Agora percebi que só de avião, só correndo o risco, posso conhecer os lugares que quero!

A minha mãe era muito apegada a mim, imaginar-me a ir fazer Erasmus, deixava a minha mãe com falta de ar. Claro que me apoiava, mas realmente ela era uma pessoa um pouco solitária, alguém que abdicou de amizades, de amores e de boas oportunidades por mim. Então, toda a sua razão de viver centrava-se em mim.

Talvez tenha sido sempre a razão mais forte para não me ausentar muito tempo. Depois era o gato, o cão, havia sempre impedimentos.

Em 2011, surgiu um convite para ir a Bali, não fui. O meu melhor amigo, após a morte da minha mãe, quis ajudar-me, quis tirar-me de Portugal, deixar-me a pensar na viagem em vez de estar sempre a pensar na minha mãe.

Foi em 2015 o ano que mudou tudo. Um ano muito bom. Acabei o projeto em meados de Junho, viajei para Bali no fim de Julho. A melhor decisão da minha vida. Tenho um namorado fantástico, tenho um pai que agora reformado, tem bastante tempo para me ajudar com os cães e gato. O meu namorado fez companhia ao meu pai, os dois cuidaram da minha casa e animais, eu estava com dinheiro, com vontade em sair daqui, era a altura ideal para realizar esta mega viagem.

Não fui sozinha, sozinha. Havia uma maluca do outro lado do Mundo à espera. Uma amiga minha, não era de todo das minhas melhores amigas, mas acho que hoje em dia posso afirmar que a adoro.

Ela já tinha estado uns dias em Bali, tinha estado a viver na Austrália meses e era o oposto de mim no que diz respeito a pânico de aviões, bichos e largar tudo o que tenha em Portugal para se aventurar. Aventura é o nome do meio da Joana.







Eu cheguei cheia de receios, comichões, cheia de requisitos. A Joana, mais nova do que eu, a viver sem regras há meses com pessoal da idade dela e mais novos, foi um pouco ' tirei-me daqui'!






Mas meus caros, eu tenho fobias de baratas e abelhas. ir para Bali parece brincadeira para quem tem fobia destes dois seres. Mas poucas baratas vi, só nas Gili. NOJOSSSS!






Aranhas, isso sim. Se tens fobia, não vás para Bali. Podes pagar o hotel mais caro da ilha, as aranhas vão aparecer.






' JOANAAAAAA tira-me esta aranha daqui'
Lá ia a Joana. Mas cresces sempre em cada viagem. E eu cresci feliz lá.
Há um choque cultural quando chegas. Pelo menos eu senti nojo de algumas zonas, senti raiva por ver que as pessoas não cuidam dos animais:
- há pessoas que os matam para o mercado de carne
- há pessoas todos os dias nas ruas a envenenar cães, pois existe a doença RAIVA e em vez de apostarem na vacinação e exterelização, matam os cães da forma mais Bárbara que existe.
- as associações de ajuda animal, têm poucas ajudas.
- algumas pessoas comem um dos animais mais fofos que conheci. LUWAK. Pesquisem, além de fofos, produzem um dos melhores cafés de sempre.
- não param de construir. Há muita pouluição, muita vontade em construir coisas e não interessa preservar os lugares verdes
- praias muito sujas
- não são pessoas asseadas. O lixo é queimado, quando é queimado, mas vês montes de lixo em todo lado.


- Em Gili e Lombok, há cavalos a cairem no chão com feridas nas patas e joelhos.Trabalham sem parar, debaixo do sol, sem descanso. Transportam Turistas, bagagem e muitos deles transportam cimento para a construção. Cavalos que mais parecem póneis. É assustador, é de partir o coração. Mas depois de escrever para associações, percebi que é uma luta longa que parece não ter fim.


Posto isto, percebes que Bali não é um Paraíso. Mas existe uma magia na Àsia que não consigo descrever. Há algo que te prende, algo que te faz querer voltar.


E eu quero, eu vou. Vou fazer voluntariado animal, vou conhecer ilhas que não conheci, ilhas que ainda posso considerar puras.
Bali é agora, um dos roteiros da agência ABREU, para verem como está a ficar famoso.






Mas há tantas ilhas mil vezes melhores do que Bali. Há lugares em Bali que atrevo-me a dizer ' nem metam lá os pés'. Imaginem a rua da Oura, em Albufeira, em pleno verão, mas mil vezes mais cheia. É isso, mas muito mais sujo.
Um dos receios em viajar para Bali, são as doenças. O Dengue existe em toda a Indónesia. A Malária não.


Mas para a Malária, tomem comprimidos, arrisquem a ir a outras ilhas. pesquisem fora deste roteiro. Eu vou voltar, tenciono ficar meses, porque é aquilo que mais me deixa feliz no Mundo. Quero estar lá, ajudar uma causa, estar em paz, sem as preocupações de quem vive em cidade, quero escrever, quero viver mais e melhor, para voltar mais completa.
No próximo Post, vou falar-vos dos meus lugares preferidos de Bali.


No entanto acho que se é para irem visitar Bali, aproveitem já. Daqui a 5 anos aquilo vi estar sobrelotado. Eles não param de construir. É uma pena.











Sem comentários :

Enviar um comentário

i always wonder why birds choose to stay in the same place, when they can fly anywhere on the earth..then i ask myself the same question'
' She had no place she could go without getting tired of it and because there was nowhere to go but everywhere, keep rolling under the stars'