Nav

sexta-feira, 13 de março de 2015

MÃE SOLTEIRA



'É tarde. Coloca a chave na ranhura com a delicadeza de quem serve um bom vinho, num restaurante Gourmet . Descalça-se. Pé ante pé, pelo corredor, chega ao quarto, tira o casaco que larga no chão, suspira e vai ter contigo. Tens sempre a luz de presença acessa, não gostas do escuro, porque tens medo. É normal na tua idade, não te acanhes. Ainda da porta, ela observa-te a dormir, o livro que te fez companhia enquanto o sono não chegava, está ainda aberto sobre ti. Tentaste esperar acordada, travaste uma dura batalha contra o senhor pestana, mas foste vencida e agora estás mergulhada no país dos sonhos, o lugar mais fantástico para se estar. Na tua idade, os sonhos ainda são cor de rosa, voas no teu cavalo, as armas disparam bolas de sabão, o arco íris existe 365 dias por ano, não precisas de tomar banho, trocar de roupa e nunca sentes frio ou fome. Os sonhos na tua idade, pintam-se de todas as cores e com sorrisos. Tenho saudades de sonhar assim. 
Hoje, sonhar continua a ser aquilo que mais gosto de fazer, mas quando és adulto, devido às adversidades da vida, começas a tentar controlar aquilo com que sonhas. Muitas vezes, tentamos fazer nos sonhos aquilo que na realidade não atingimos, por uma multiplicidade de razões que agora não interessam para nada. O que importa és tu, não é verdade? Ser adulto é uma seca, vais perceber isso mais tarde. Eu sei que adoras calçar os sapatos da tua mãe e que agora já não comes o batom, mas continuas a parecer o joker em miniatura, quando pintas os lábios. Sentou-se ao teu lado, afaga-te o cabelo, guarda o livro, na estante branca, tapa-te, dá-te um beijo na testa e sorri. Vês pouco a tua mãe, este novo trabalho, faz com que os vossos horários não sejam muito compatíveis, mas a tua mãe tem de aguentar, acima de tudo, por ti. Para que possas continuar no bom colégio que frequentas, para que possas ter tudo aquilo que ela te quer proporcionar. 
A vida é feita de cedências, é feita de sonhos, como te dizia à pouco. E o sonho da tua mãe, é que sejas feliz. Ela é uma mãe guerreira, não quer que te falte nada, por isso sabe que não lhe pode faltar tempo para ti, porque não te pode faltar a palavra ' mãe'. Por isso, os fins-de-semana são todos dedicados a ti. Não conheço ninguém com fins-de-semana tão cheios de novidades e de coisas giras para fazer, quanto tu. E são vocês as duas. Mãe e filha. Ah, desculpa, às vezes esqueço-me que gostas de animais e tens uma tartaruga e um gato. Pediste um cão, mas a tua mãe explicou-te que era complicado ter um cão nesta fase das vossas vidas, bateste um pouco o pé, mas acabaste por perceber os motivos e o quanto um cão precisa ir à rua, mas com esse teu jeitinho doce, convenceste a tua mãe a terem um gato. O Sebastião já tem dois anos e é o teu fiel amigo. Por certo estaria a dormir aos pés da tua cama, quando a tua mãe chegou. Não escapa nada aos gatos e a tua mãe mesmo com aquela subtileza a abrir a porta, não conseguiu surpreender o Sebastião. Lá estava ele a passar por entre as pernas da tua mãe, a roçar-se a fazer ron-ron . Olha para a fotografia do teu pai que está na na tua mesa de cabeceira, volta a olhar para ti e sorri novamente. Vai à sala e diz à tua babbysitter que já pode ir para casa descansar. Pede desculpa pelo atraso, mas o voo atrasou. Amanhã é sábado, por isso amanhã vais ser tu a acordar a mãe, com beijinhos e não o contrário. Amanhã não há despertador, por isso saltas da cama como uma mola, para ires aninhar-te na cama gigante da mãe. Se me perguntares o que existe no mundo melhor do que isso, ainda não te sei responder. Talvez saiba quando for mãe, mas enquanto filha, não há nada que me deixe mais saudades.

Espera, a papinha da mãe é sempre a melhor do Mundo. Isto é um facto. E contra factos, não há argumentos minha querida. Por fim, deita-se com um sorriso, porque é sexta-feira, porque agora nada vos impede de matar saudades uma da outra. São 48 horas de amor na sua essência. Durante a semana, estão juntas ao acordar, enquanto com pressa, ela dá-te o pequeno-almoço, veste e deixa-te na escola. Muitas vezes ainda conseguem jantar juntas, mas nem sempre. Ela sabe que não pode vacilar , tem de ser forte e lutar pelas duas. Adormeceu.

Amanhã, sábado, aproveita o dia com a tua mais que tudo, deixa que te chame chata por estares a enche-la de mimo. Mimo a mais não mata. Não esse tipo de mimo. És o maior orgulho dela, por ti, é capaz de mover montanhas. E moverá se for preciso. Bom fim-de-semana!'

3 comentários :

  1. É um privilégio olhar para uma mãe desta forma. Também partilho dele. *

    ResponderEliminar
  2. Está tudo dito, Filipa. Sou mãe e sou avó e, decididamente, só depois de passarmos por estas fases, lhes damos o devido valor. Mãe, é um sentimento que não se explica, porque por muito que se tente fazê-lo, falta sempre alguma coisa. Ser avó é algo, não melhor do que ser mãe,...mas diferente. Avó é reviver todos os momentos que tivemos com os nossos filhos, é vê-los renascer mas, sobretudo percebê-los com mais maturidade. Vou ficar por aqui, porque isto dava "pano para mangas"!!! Quem sabe um dia, não possamos fazer esta "comparação" de mãe e avó. Bjs, Filipa. Amei o texto.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar

i always wonder why birds choose to stay in the same place, when they can fly anywhere on the earth..then i ask myself the same question'
' She had no place she could go without getting tired of it and because there was nowhere to go but everywhere, keep rolling under the stars'